Notícias

Quarta, 22 Março 2017

É preciso cuidar da Tuberculose. Informe-se e divulgue!

24 de março é Dia Mundial de Combate à Tuberculose. Confira o alerta do Dr. Guilhardo Fontes Ribeiro

A Tuberculose continua a ser uma grande problema de Saúde Pública, são quase 10 milhões de casos novos por ano no mundo, e 70 mil apenas no Brasil. Na Bahia, ocupamos terceiro lugar em número de caso, perdemos apenas para São Paulo e Rio de Janeiro. São cinco mil casos novos na Bahia com aproximadamente 400 mortes. A transmissão é feita pelo bacilo de Koch e por via respiratória tosse, espirro, falar, cantar. Naturalmente, em ambientes insalubres, pouco arejados e ventilados, a contaminação é muito maior, assim como em casas com poucos cômodos e com um grande número de pessoas.

Fica claro então que o problema da tuberculose está intimamente ligado a pobreza, desnutrição, saneamento básico e educação, embora potencialmente todos indivíduos são vulneráveis a Tuberculose. A idade avançada, doenças crônicas como Tabagismo, Diabetes , DPOC( doença pulmonar obstrutiva crônica), entre outras também aumentam os fatores de risco. O uso de medicações que alteram o sistema imunológico pode ainda contribuir para o contágio.

A doença mais relacionada com a Tuberculose no mundo é o HIV. Esta doença reduz o sistema imunológico favorecendo o surgimento da doença, por isso a tuberculose é uma das principais causas de morte nestes pacientes.

O diagnostico é feito pelas manifestações clínicas que pode variar de quadros assintomáticos, ao quadro clássico de febre no final da tarde, sudorese, emagrecimento, tosse seca ou com escarro amarelado e/ rajas de sangue, dor torácica e falta de apetite em muitos casos. A pesquisa do bacilo no escarro e cultura do escarro são ferramentas simples e disponíveis em todo ou maiorias dos postos de saúde. Hoje existe o Teste Rápido Molecular, em centros de referência para tratamento da tuberculose, que permite a identificação do bacilo em duas horas em amostra do escarro, dando pista para possibilidade de tuberculose multirresistente.

Esta é uma doença com grande potencial de cura completa, até mesmo sem sequelas, quando se faz o diagnóstico precoce e não se abandona o tratamento de seis meses (que é gratuito pela rede pública). A radiografia do tórax é de grande ajuda diagnóstica, na identificação e suspeita da tuberculose ativa, mesmo em indivíduos sem sintomas . Quando alguém é acometida pela doença, toda família deve ser examinada para avaliar contaminação, ou doença ativa em familiares e contactantes.

Os pacientes após tratamento devem continuar com acompanhamento médico periódico, para avaliar possibilidade de reativação da enfermidade.

Ainda existe enorme preconceito em relação a doença, o que gera ansiedade e depressão em muitos pacientes, dificultando sua cura, e estimulando ao abandono do tratamento, assim em muitos casos se faz necessário um apoio psicológico.

A tuberculose é um problema social de responsabilidade de todos. Os programas de controle da tuberculose no Brasil tem sido muito eficientes, mas certamente tem amplo espaço para melhorias, sobretudo com o diagnóstico precoce. A média de tempo entre o início da doença e o começo do tratamento são, em média, 90 dias, tempo suficiente para disseminar a enfermidade.  Uma pessoa não diagnosticada e tratada, tem potencial para contaminar entre 10 a 15  pessoas.

Quem tosse  durante 15 dias, deve procurar o posto médico ou hospital para diagnóstico. Esta é uma importante arma para o tratamento efetivo da tuberculose e de outras enfermidades respiratórias.

 

Dr. Guilhardo Fontes Ribeiro

 DR Guilhardo